was successfully added to your cart.

InternacionalizaçãoMarketing digital

Como lançar uma startup global (quase) sem custo

Por 24 de fevereiro de 2016 3 Comentários

Lançar empresas globais hoje em dia é muito mais simples que era há 5 ou 10 anos atrás, principalmente se estamos falando de empresas de base tecnológica onde o produto é basicamente um aplicativo ou serviço online.

Preparei nesse post uma série de dicas para que qualquer empreendedor possa de maneira simples, rápida e prática lançar um produto global a partir de um orçamento mínimo e com pouco ou quase nenhuma proficiência em inglês, parece mágica mas não é.

Adianto que foquei apenas em startups que seus produtos podem ser consumidos por clientes de qualquer parte do mundo de maneira automática tais como aplicativos e games. Em breve farei outro post cobrindo as estratégias para quem quer lançar serviços como marketplaces ou que necessitam interação com agentes locais nos países onde desejam atuar.

Vamos as dicas…

Siga o “fake it ’til you make it “
A expressão, já bem difundida no meio das startups, pode ser traduzida como “finja até que se torne real” ou seja, encare seu projeto como global a partir do dia zero e crie estratégias que as pessoas entendam que sua empresa atua no mercado internacional, mesmo que você, por enquanto, esteja aqui mesmo no Brasil.

Traduza seu site, blog, Linkedin e os posts no Facebook gastando US$5,00 por cada 500 palavras
Sim é possível, acesse https://br.fiverr.com/ e busque por “translation”, logo em seguida defina de português para inglês. O Fiverr é uma plataforma que reúne os mais variados (e muitas vezes bizarros) microserviços oferecidos por pessoas do mundo inteiro. Com apenas 5 doláres é possível ter traduzidos textos de até 500 palavras de qualquer língua para qualquer língua. E não é só isso, é possível traduzir seu perfil no http://1u88jj3r4db2x4txp44yqfj1.wpengine.netdna-cdn.com/wp-content/uploads/2015/03/globe-vbeat1-930×478.png LinkedIn (bem importante), seus posts no blog e no Facebook enfim, com esse serviço fica muito fácil e barato ter seu produto todo em inglês.

Contrate um “biz address” em um coworking
Esse é um ponto bem importante, você até pode parecer ser global atuando a partir do Brasil, mas com certeza é muito mais fácil vender essa imagem se tiver um endereço fora. Por isso acesse serviços como Liquidspace ou Sharedesk e localize os espaços mais interessantes de coworking nos país que deseja que as pessoas achem que sua empresa está (lembrando que não estamos falando de abrir legalmente, pelo menos por equanto). Muitos espaços oferecem o serviço de “biz address” por 30 ou 45 dólares por mês. Esse é um custo que vai ser dificil fugir, contrate e aproveite a rede de networking online que alguns espaços oferecem além de diversas outras vantagens.

Compre um número internacional via Skype
Caso o serviço de coworking não ofereça um número telefonico fixo talvez valha a pena contratar um utilizando o Skype. Através desse número Skype você passa a receber as eventuais chamadas diretamente no seu smartphone. O problema é que se na sua equipe ninguém falar inglês a coisa pode complicar, em alguns caso vale a pena ter um serviço internacional de recepcionista virtual que irá não só atender as ligações como também passar dados básicos do seu produto, o único problema aí é o custo mensal que pode ficar em torno do 260 dólares.

Consiga clientes via redes de profissionais
Agora que seu site, Facebook, blog e Linkedin estão em inglês e seu endereço está fora do Brasil é hora de começar a buscar os primeiros clientes estrangeiros para testarem seu serviço. Indico iniciar através de redes online de profissionais, tais como o próprio LinkedIn ou o Xing caso seu foco seja clientes europeus. Você pode tanto postar mensagens nos fóruns com dicas do seu setor ou mandar mensagem diretamente para o perfis que mais te interessarem. Lembre-se que nesse momento é interessante você conseguir clientes que sejam referência na área que você atua e não exatamente qualquer pessoa. Seja bem focado nesse propósito fazendo uma espécie de mapeamento de pessoas-chave no ecossistema e inicie o quanto antes uma conversa com elas. Caso tenha problemas em montar os textos, volte ao segundo item dessa lista e já deixe tudo traduzido daí é só copiar e colar, nesse link você encontra algumas dicas de textos que pode adaptar.

Contrate um estrangeiro para sua equipe

A melhor maneira de você internacionalizar sua equipe e facilitar a comunicação com o mercado-alvo é contratando um “gringo” para seu time. Essa é uma opção que irá mexer com as crenças organizacionais e forçar todos a realmente pensarem globalmente. Você pode inscrever sua empresa em algum programa internacional de “internship” e oferecer uma vaga de estágio em troca da experiência de trabalhar numa startup no Brasil, moradia e outros benefícios que deseja oferecer. Tanto na Europa como em outras regiões ainda tem muita gente querendo vir para nosso país e essa é uma super oportunidade de incorporar uma nova cultura à sua empresa.

Se inscreva em programas de aceleração e pré-aceleração
Após os primeiros contatos com clientes fora do Brasil você terá uma ideia do impacto da sua startup e do potencial que poderá ter no mercado global, aproveite e se inscreva no maior número possível de programas de aceleração e pré-aceleração. O F6s reúne programas no mundo inteiro e você pode aplicar direto na plataforma deles. A maneira mais fácil de ser aceito é buscar por programas em locais menos óbvios, países como Estados Unidos, Londres e Alemanha são sempre muito disputados. Aplique para os países do leste europeu, China, Turquia, Chile, Hong Kong, Mexico entre outros, busque por programas que são “equity-free” (sem participação acionária na sua empresa) e que facilitem visto e estadia mesmo que não ofereçam nenhum benefício financeiro. Você não vai fugir dos custos de morar em outro país, mas dependendo da cidade que escolher poderá inclusive economizar em relação ao Brasil além de realmente tornar seu negócio global.

Em paralelo, faça uma imersão no inglês.
Se você já domina bem a língua procure um professor com experiência em inglês de negócios e aproveite pra se aprofundar no tema. Se ainda está na fase do “embromation” não se preocupe, dá tempo, busque cursos mais básico e vá treinando. Se possível mude a língua do sistema operacional do seu computador, celular e demais aparelhos que puder, passe a ler blogs, escutar podcasts e o máximo que puder em inglês. Procure por eventos do Internations ou Couchsurfing ou descubra no Meetup onde os estrangeiros da sua cidade se encontram e apareça não só para treinar o inglês mas também para fazer novos amigos e entender a cultura de outros países.

Dúvidas, sugestões? Deixe um comentário! Será um prazer ajudá-los a esclarecer algum ponto e conhecer também suas opiniões sobre o assunto.

_

Que tal começar hoje mesmo a atrair clientes internacionais? Clique aqui e faça um diagnóstico 100% gratuito para a sua empresa.

Participe da discussão 3 Comentários

  • Renan disse:

    Massa!! O post ficou muito bom!! Muitas coisas que eu não tinha lido ainda e não tinha sacado. Gostei!!

    Para receber pagamentos em doletas, quais ferramentas vc recomenda? Para que o pessoal de fora consiga pagar com facilidade, pelo serviço oferecido.

    Abs!!

  • Denise Santos dOliveira disse:

    Parabéns pelo artigo: o conteúdo diadático será muito útil para mim e minha Start Up. O grande desafio é melhorar o inglês, e é uma pena que quase não existem ambientes para que os empreendedores possam aprimorar o conhecimento em inglês.

    • cultivatech disse:

      Oi Denise, realmente o inglês é uma das maiores barreiras para internacionalização das startups. Não sei se conhece mas vale a pena testar o https://www.italki.com/. Quero aproveitar e indicar nossa plataforma de internacionalização – http://uglobally.com/ onde é possível encontrar programas de aceleração e pré-aceleração em diversos países do mundo, assim quem sabe você pode aproveitar para estudaringlês fora do Brasil e alavancar sua empresa ao mesmo tempo.

Escreva um comentário